terça-feira , 25 julho 2017
Home / Copa da Inglaterra / A cereja de uma temporada ruim

A cereja de uma temporada ruim

 
Foi uma zebra, uma zebraça, melhor dizendo. Uma vergonha. De certa forma estes adjetivos podem se aplicar ao jogo de ontem, se formos analisar os precedentes e as diferenças gigantescas entre os dois times.
Claro, perdemos para um time de primeira divisão, que deve se despedir dela esta temporada, depois de muitos anos batendo na trave, mas isto tem pouca influência sobre o fato que o City perdeu um jogo que no papel deveria se extremamente fácil, apesar de também ser uma final, o que muda muito as coisas escritas no papel.
Tem zebras que, para multiplicar seu tamanho, e provocarem dor ainda maior nos derrotados, são injustas: um time qualquer, em um ataque apenas decide, e depois se fecha para ser bombardeado o restante da partida, cansamos de ver uma situação dessas de tempos em tempos. Só que desta vez eu tenho certeza que a situação não se aplica, o City perdeu porque mereceu.
O aguerrido Wigan de Martinez mostrou bem mais vontade, uma consistência defensiva esplendorosa, também nunca deixando de buscar o ataque, nos deram sustos várias vezes, inclusive com uma bola no travessão, e depois da expulsão de Zabaleta, o menos pior que nos parecia ocorrer era a prorrogação chegar logo, pois o gol deles já estava bem maduro. Jogou como time grande, colocou sua vida na partida, nunca tinham ganhado um título importante, e por isto se comportaram como verdadeiros finalistas, gostaram do jogo.
O apático City de hoje não foi muito diferente do apático e burocrático City de grande parte da temporada, o mesmo que os principais nomes não apareceram como deveriam, aquele que pensou que era um jogo comum, com as vitória nas mãos. Não deu show, não empolgou os torcedores, não se pareceu quase nada com o time de 2011/12.
Foi uma temporada no geral ruim, no máximo mediana.  Os mais saudosistas podem até dizer que eu reclamo de barriga cheia, vista a situação de anos atrás. É sempre bom usar este ponto-de-vista para quem entrou no barco agora é quer exigir demais, mas temos que equilibrar, e desta vez vale mais analisar o hoje, o time como ele é, onde ele deveria chegar.
Sobre a Champions é bom nem falar muito. Pegamos um grupo difícil novamente, com dois times que acabaram se enfrentando novamente nas semifinais da mesma competição. Mas eu continuo pensando que era por obrigação nossa ter roubado o lugar de Real ou Borussia. Mesmo se considerássemos como normal a eliminação novamente na primeira fase, sem o fator estréia, terminar na última colocação do grupo, atrás até do Ajax, sem uma vitória sequer, isto não dá para aturar… Pelo menos que brigássemos até o fim pela vaga, assim como na temporada anterior, com uma campanha decente, mas não…
A Premier rendeu uma campanha que nos garantiu mais uma vez na competição continental, com o vice-campeonato. Nada mal, é verdade. Com futebol para o gasto, fizemos pelo menos uma campanha normal para o time que temos, menos que isto seria vergonha também. O que decepciona foi que nos despedimos do sonho do bicampeonato cedo demais, o único time que poderia disputar a taça com o United a entregou para os rivais de forma rápida, os fazendo caminharem tranquilamente com boa gordura até o fim, acabando com a emoção do campeonato.
Que perdêssemos para eles, futebol é assim, e esta disputa com revezamento de títulos entre os dois clubes da mesma cidade parece ser o destino do futebol inglês nos próximos anos, mas deveríamos pelo menos ter ficado no calcanhar até o fim, vendendo caro, assim como eles fizeram um ano atrás, mesmo jogando um futebol inferior.
Então, o jogo que poderia salvar a temporada acabou coroando o nosso desempenho abaixo do esperado nas competições. Claro que se ganhássemos o entusiasmo seria bem menor que dois anos atrás, pois ali valia o fim de um jejum de mais de 30 anos, valia também um passo importante para o projeto, estávamos muito engasgados.
Agora a situação é diferente, até os mais antigos já se acostumaram a disputa de campeonatos, e uma FA Cup não é mais tratada como um foco, se tornou apenas a cereja de uma boa temporada, ou a salvação de uma ruim. Ontem nem a segunda e esperada situação aconteceu.
Claro que o mundo não acabou, como não acabaria se perdêssemos a mesma FA em 2011, ou até a Premier ano passado. Ainda bem que ganhamos, o que diminui mais a dor de hoje, mesmo do contrário continuaríamos, pelo menos os verdadeiros citizens, firmes, fortes e sonhadores. Estas derrotas estão aí para dizer que algumas coisas precisam ser mudadas, precisamos de reforços que venham para fazer a diferença, ou últimos não chegaram com este selo, e assim não fizeram, então os rivais, que estavam um passo atrás antes, chegaram, e deu no que deu…
Acesses nossas redes sociais:http://facebook.com/ManchesterCityBrasil
http://twitter.com/ManCityBrazil
Contato: joaohugo@manchestercity.com.br

Sobre João Hugo

Em 29 de dezembro de 2007, fundei o Man City Brazil com o Leonardo e o Fernando. Em 23 de fevereiro de 2017, 10 anos depois, nos tornamos a 1º torcida oficial do Manchester City na América Latina: The Citizens Brasil. O resto é estória pra boi dormir...

Veja mais

Qual o DNA do Manchester City?

Entendo que todo clube possui um DNA, uma lista de características únicas de futebol e …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *