sábado , 24 Fevereiro 2018
Home / Campeonatos / Premier League / City joga mal, perde para o Liverpool e dá fim a invencibilidade

City joga mal, perde para o Liverpool e dá fim a invencibilidade

Tristeza, decepção e frustração. Palavras que pouco ou nada estiveram presentes durante esta temporada 2017/18 do Manchester City. No entanto, essa realidade mudou hoje quando os comandados de Pep Guardiola foram visitar o Liverpool no Anfield. O time jogou de forma irreconhecível e perdeu por 4 a 3, dando fim a invencibilidade em competições inglesas na temporada.

Desde antes do jogo eu já estava preocupado, afinal, as estatísticas e tabus jogavam contra o City. A última vitória dos azuis lá em Anfield foi em 2003, desde a temporada 36/37 que o Manchester não bate os Reds nos dois jogos da temporada, Klopp foi o técnico que mais venceu Pep na história… Dito e feito.

O início do jogo já se mostrou preocupante. O Liverpool marcava pressão e impunha grande dificuldade do City sair jogando. O primeiro susto já veio aos 3’ do primeiro tempo quando o trio ofensivo dos donos da casa fez boa jogada e o Salah teve a chance do arremate, que acabou sendo bloqueado por Stones.

Mas o gol do mandante não demoraria a sair. Aos 9’ Ox Chamberlain arriscou de fora da área. O chute saiu forte, rasteiro e contou com o mal posicionamento do Ederson. Não deu outra, Liverpol 1 a 0.

Depois do gol, o Liverpool diminuiu a intensidade da marcação pressão. Com isso o City conseguiu manter a posse de bola por mais tempo e com maior tranquilidade, o que não vinha acontecendo. Impondo o seu estilo de jogo, o Manchester assustou duas vezes aos 19’ e aos 22’. Primeiro De Bruyne cruzou com perigo mas Agüero não conseguiu desviar a bola pro gol e depois Sané arriscou de fora da área, a bola desviou na defesa vermelha, tirando Karius do lance, e passou com perigo ao lado do gol.[

Mas foi só. O City estava mal e tinha dificuldades para criar, tanto que a primeira finalização ao alvo dos azuis só aconteceu aos 35’ num chute fraco do KDB. O Liverpool tinha ajustado a marcação e o toque de bola e jogo coletivo dos Cityzens não funcionava.

Se não vai no coletivo, vai no individual. Aos 40’ Walker acertou bela virada de jogo para Sané, que já dominou tirando Gomez da jogada. Ele levou a bola pra área, cortou pra esquerda, tirou os dois marcadores do Liverpool da jogada, e acertou um belo chute colocando a igualdade no Placar.

Depois do empate, o jogo ficou “lá e cá”, com os times trocando ataques usando a velocidade dos seus jogadores de frente. No entanto, nenhuma chance foi criada por ambos os lados e o árbitro deu fim ao primeiro tempo.

Segundo tempo

O segundo tempo começou com dando indícios de que o Manchester iria partir para a virada. Logo aos 50’ o City conseguiu um bom contra-ataque e Agüero teve o chute bloqueado e a bola foi para escanteio. Na cobrança do esquinado, Otamendi cabeceou bem a bola foi na trave.

Mas os donos da casa logo trataram de frear o ímpeto dos visitantes e assustou com dois bons lances aos 55’, com o Ox e o Salah, que obrigaram Ederson a fazer duas boas defesas. Mas o gol dos Reds logo aconteceu. Mais especificamente aos 58’ quando Firmino ganhou no corpo do Stones dentro da área e tocou de cavadinha na saída do goleiro brasileiro.

O City sentiu o impacto do segundo tento do Liverpool. Ficou nervoso e começou a falhar na saída de bola. Primeiro Fernandinho errou um passe, que foi interceptado por Mané, que arrematou na trave. Mas logo depois, foi a vez de Salah pressionar a saída, Otamendi falhou e o egípcio rolou para Mané que acertou um belo chute de canhota no ângulo, sem chances para Ederson, Liverpool 3 a 1.

Nove minutos após o segundo gol, foi a vez do arqueiro brasileiro falhar. Ele saiu da meta para cortar um lançamento para Mané, mas a bola acabou nos pés de Salah que, do meio da rua, acertou um belo chute cobrindo o goleiro, transformando a vitória em goleada.

O City estava irreconhecível e não demonstrava nenhum poder de reação, muito pelo contrário, era o Liverpool que ainda assustava, como num chute de Wijnaldum aos 81’. Mas aos 83’ o Manchester achou um gol depois de um “bate rebate” na área. Bernardo, que entrou no jogo no lugar de Sterling que teve péssima atuação, chutou bem no canto esquerdo do goleiro, ainda dando esperanças aos torcedores azuis.

Mas o time ainda não mostrava forças para reagir. Mas a sorte bateu na porta e os Cityzens acharam outro gol aos 91’. Agüero cruzou, a defesa do Liverpool falhou e Otamendi, como bom centro-avante, dominou a bola no peito e chutou, diminuindo a contagem e botando fogo no jogo.

No entanto, já era tarde demais. O City ainda chegou a assustar com Agüero numa cabeçada após cobrança de falta do De Bruyne, mas o placar já estava sacramentado. Derrota por 4 a 3 em Anfield, tabu mantido, invencibilidade perdida, atuação péssima… Adjetivos e fatos ruins não faltam para descrever esse resultado, mas há algo de positivo para se tirar deste revés? Sim.

Não se deve deixar de mencionar o fato de que o City estava visivelmente cansado. O time já dava indícios de queda no rendimento nas últimas partidas, principalmente após a maratona de jogos no fim de ano que ocorre na Inglaterra. A derrota já poderia ter vindo na partida contra o Crystal Palace, mas ela apareceu apenas hoje.

Mas algumas perdas são importantes. Com diria Steven Tyler (vocalista do Aerosmith) nos versos de Dream On “você precisa perder para aprender como ganhar”. Sim, esta perda pode servir para tirar qualquer “salto alto” e sentimento de “já ganhou” que pudesse surgir entre os jogadores do City.

Pep sempre chama atenção que se deve pensar “jogo a jogo” e tratar o próximo jogo sempre como o mais importante da temporada. Esse revés pode ajudar a fixar isso dentro dos jogadores. O próximo jogo pode servir para mostrar uma reação positiva a esse percalço que o time teve hoje.

O próprio Pep entende isso e classificou como positiva a reação do City com os dois gols no final: “Nós continuamos e marcamos dois gols. Precisamos viver esse tipo de situação ao longo da temporada.”

O time agora terá uma semana sem jogos para treinar e descansar, algo raro e precioso durante a longa e exaustiva temporada de futebol na Inglaterra. O próximo jogo é apenas no próximo sábado (20) contra o Newcastle United, em Manchester, às 15:30 (Horário de Brasília).

Liverpool: Karius; Gomez, Matip, Lovren e Robertson; Oxlade- Chamberlain, Can (Milner) e Wijnaldum; Salah (Lallana) , Firmino e Mané (Klavan).

Gols: Mané, Firmino, Salah e Oxlade-Chamberlain.

Amarelos: Firmino e Milner.

Manchester City: Ederson; Walker, Stones, Otamendi e Delph (Danilo); Fernandinho, Gündogan e De Bruyne; Sané, Agüero e Sterling (Bernardo).

Gols: Otamendi, Sané e Bernardo.

Amarelos: Otamendi, Fernandinho e Sterling.

Notas:

Ederson (5)

Walker (6)

Otamendi (6)

Stones (5)

Delph (6)

Danilo (6)

Fernandinho (5)

Gündogan (6)

De Bruyne (5)

Sané (7)

Sterling (4)

Bernardo (7)

Agüero (5)

 

Próximo jogo:

Adversário: Newcastle

Estádio: Etihad Stadium

Data: 20/01 (sábado)

Horário: 15:30 (Brasília)

Sobre Gabriel Moura

Um ateu até o gol do Agüero contra o QPR (agora louvo o DeusBruyne). Alguém que achava que dinheiro não trazia felicidade até conhecer o Sheik Mansour e mudar radicalmente de ideia. E claro, aficionado pelo maior de Manchester.

Veja mais

PRÉ-JOGO| Burnley x Manchester City – 03/02 – PL

Neste sábado, teremos o início da 26ª rodada da Premier League. A partida entre Burnley …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *