segunda-feira , 18 dezembro 2017
Home / City Women / City Women perde e vaga na final da UWCL fica mais distante

City Women perde e vaga na final da UWCL fica mais distante

Mais um capítulo foi escrito na incrível história do Manchester City Women. Apesar do gol de Asllani, o time perdeu por 3×1 em partida válida pela semifinal da UEFA Women’s Champions League. O Academy Stadium estava lotado, mais de três mil e quinhentos torcedores, a atmosfera estava incrível… mas nada disso foi suficiente para parar o Lyon, 10 vezes consecutivas campeã da França (e com certeza levará seu décimo primeiro título esta temporada, com folga) e atual campeã do torneio. Era a experiência contra a novidade.

Recheado de jogadoras de alto nível – tanto do nosso lado como do lado delas – o duelo teve detalhes interessantes, como Kosse Asllani – a única do elenco a ter disputado uma UWCL – enfrentando mais uma vez as francesas (ela defendeu o PSG, antes do City) e o reencontro de Carli Lloyd com sua colega de seleção Alex Morgan. Nick Cushing, mais uma vez manteve seu estilo de jogo e mandou o seguinte onze inicial:

Sabia-se que seria um jogo difícil, mas não se esperava que o Lyon abrisse o placar logo no primeiro minuto. Após cobrança de escanteio, Carli Lloyd, dentro da área, intercepta a bola com o braço. Um lance infeliz, ainda mais vindo de uma experiente jogadora. Pênalti para o Lyon, que a zagueira japonesa Saki Kumagai converteu muito bem. Mas o City não se abateu e foi para cima, tanto que, aos nove minutos, o time conseguiu o empate.

Jogando sem medo, Toni Duggan levou a melhor na dividida no lado direito do campo e deu um passe açucarado para Asllani. A camisa 7 só teve o trabalho de dominar e levar a melhor no cara-a-cara com a goleira. Apesar de bem nervoso (dada a importância da partida, claro), o time jogava de igual para igual, mesmo o Lyon dando muito mais trabalho para Karen Bardsley.

Aos 15 minutos, após Jill Scott perder a bola, a jogada foi bem trabalhada pela esquerda, sobrando para a meio-campo alemã Dzenifer Maroszan, recebeu sozinha na pequena área e mandou um belo chute, que Bardsley não alcançou. Realmente, um belo gol.

Vez ou outra o City chegava na área, mas o domínio das francesas tornou-se muito maior conforme o tempo passava. As jogadas do City (pelo menos boa parte delas) foi pela esquerda, ora com Lucy Bronze, ora com Duggan. Aos 25, em jogada individual na entrada da área, Maroszan chutou, mas Bardsley encaixou bem a bola, na sua direita. Já o Lyon pintava e bordava pela direita do campo, Demi Stokes foi praticamente uma avenida hoje.

Duggan saindo da marcação francesa. Foto Twitter MCWFC

O 2×1 permaneceu até o intervalo. Nos primeiros cinco minutos, Alex Morgan recebeu uma boa bola pela diagonal, ficando cara-a-cara com Bardlsey, mas nossa goleira levou a melhor, isso porque o chute não foi tão bom assim. A última pá de cal veio com Eugenie Le Sommer, que havia acabado de entrar no jogo. Após cruzamento pela direita, Le Sommer recebeu, saiu da marcação e meteu um chutaço na diagonal, fechando o placar.

Aí o City, no desespero, foi pra cima. Só aos 35 minutos veio a primeira substituição: saiu Izzy Christiansen (que sumiu no jogo) por Melissa Lawley. Dois minutos depois, nova mudança, também no ataque: saiu Duggan e entrou Georgia Stanwaw. O que foi errado por parte do treinador. Dada a força do outro time, pelo menos uma mudança deveria ter sido feita ainda no intervalo.

O último suspiro a favor do City veio a três minutos do fim, com a zagueira Abbie McManus recebendo a bola em cobrança de escanteio e mandando perto, mas muito perto do gol. Não houve acréscimos e o jogo, definitivamente, não foi como esperado. Mas, apesar de tudo, o time não pode desistir, ainda há mais um jogo! A partida de volta será no sábado que vem, dia 29, às 20h45 (horário de Paris). A transmissão via internet ficará a cargo do time francês.

O Manchester City não pode se abater, mesmo com o resultado adverso – que não é um resultado tão ruim, afinal de contas, tendo em vista que esta é a primeira participação do clube inglês em sua história. 3×1 contra as atuais campeãs do torneio, um clube que recebe muito investimento, é um resultado plausível de ser revertido sim. E pra quem não pôde conferir a partida, o jogo está disponível, na íntegra, no Facebook do Manchester City.

Sobre Kamila Villarreal

Responsável pelo City Women. Queria ser jogadora de futebol, mas como não deu certo, escolheu ser jornalista.

Veja mais

De virada, City Women vence e continua invicto na WSL

Neste domingo, pela quarta rodada da WSL, o Manchester City venceu, de virada, em casa, …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *