segunda-feira , 24 julho 2017
Home / Clube / Clichy prega divisão de responsabilidades e fala sobre saída de Mancini

Clichy prega divisão de responsabilidades e fala sobre saída de Mancini

O lateral francês Gael Clichy disse que os jogadores também têm de dividir a culpa por uma temporada que prometia muito, mas que terminou com uma sala de troféus vazia.
Clichy, que assinou um novo contrato de quatro anos poucos dias após a saída de Roberto Mancini, quebrou o longo silêncio dos jogadores sobre a demissão.
“Ele é o técnico e você tem que assumir a responsabilidade”, disse.
“O técnico está lá para fazer as escolhas. Claro que, quando os resultados são bons, tudo se resume a ele. Quando os resultados não são tão bons, também é creditado a ele”.
“Temos de estar cientes de que ele provavelmente tem culpa por isso, mas como jogadores em campo também temos que assumir a responsabilidade e também sei que não realizamos o esperado”.
“O presidente tomou a decisão, e você tem que respeitá-lo. Como jogador, eu não estou questionando, porque no final do dia, se você fizer bem em campo, todos serão felizes”.
“Temos que assumir a responsabilidade por esta temporada e sim, provavelmente, é por causa do técnico que não ganhamos nada, porque ele é o homem no comando, mas também por causa de nós, como jogadores que somos”.
Clichy nunca tinha presenciado um clube em que atua demitindo seu técnico antes, depois de uma temporada no time principal do Cannes e oito anos sob comando de Arsene Wenger no Arsenal.
“Para mim é difícil, pois, obviamente, ele me trouxe para o clube”, admitiu.
“É a primeira vez que um técnico é sacado desde que eu estive em um clube, por isso é um pouco de choque, se você olhar para o seu recorde é difícil de entender”.
“Ele tem troféus conquistados, conquistou o título depois de 44 anos e muitas pessoas, especialmente os fãs, queriam dar-lhe outra chance”.
“Mas é assim que as coisas são, somos apenas jogadores de futebol. Há pessoas no topo, acima de nós, acima do técnico é o presidente. Ele tomou a decisão de colocar um fim nisso e você tem que aceitar”.
Muitas especulações têm sido apontadas sugerindo relacionamentos ruins de Mancini com vários de seus jogadores e pessoal de apoio, mas Clichy disse que a relação era equilibrada.
“É sempre difícil, o técnico tem que ser um gestor”, disse ele. “Depois de se tornar amigo dos jogadores, é quando você pode ter problemas”, acrescentou.
“Eu prefiro ter problemas porque o técnico é respeitado e é duro com os jogadores do que um técnico que está tendo problemas, porque ele é amigo deles”.
“Ele trouxe a maioria de nós ao clube. Se ele te comprou significa que gosta de você. Um jogador que ele acabou de comprar realmente não pode dizer que tinha algum problema”.
“Pode-se entender que quem não está jogando seria infeliz e diria coisas ruins sobre o técnico. Mas isso é o mesmo para Arsenal, United, etc. Quando você não joga, você não é feliz”.
O clamor da torcida foi algo que chamou a atenção, com alguns até mesmo começando um fundo para comprar um anúncio no jornal italiano Gazzetta e agradecer a Mancini, em retribuição ao anúncio de página inteira no MEN neste último fim de semana.
Clichy diz que entende as atitudes dos fãs.
“Eu disse há algumas semanas atrás, que, se você tem um novo técnico, de uma forma pode parecer que está regredindo, porque ele vai querer trazer novos jogadores, talvez quatro ou cinco, e vamos precisar de tempo para se adaptar”, disse ele.
“Então, de uma maneira você pode pensar que está andando para trás. Mas, na visão do presidente e da equipe, o clube precisa disto para progredir e ele sentiu que era o momento certo para Mancini sair”.
“É o direito dos fãs ficarem preocupados, porque o cara lhes deu três troféus em três anos, o que é bastante surpreendente. Mas você tem que assimilar que ele se foi. Obrigado por tudo que fez para o clube, mas agora temos de olhar para o futuro”.
O técnico do Málaga, Manuel Pellegrini, deve tomar as rédeas do City em 1 de Julho, uma vez que a temporada espanhola acabou, mas Clichy disse que não sabe muito sobre a natureza do novo chefe.
“O que eu sei sobre ele é, provavelmente, tanto quanto você, mas seu recorde fala por si mesmo, a partir de seu tempo no Villarreal, Real Madrid e Málaga”.
“Foi o mesmo para Mancini, quando você assume um clube como o Arsenal, City ou United, precisa de um gestor top. Perdemos um gestor top que vai ficar nos corações dos fãs, mas agora queremos um chefe que vai desempenhar bem”.
“Ele foi bem na Espanha, só temos que dar-lhe tempo e precisamos de mais do que um ou dois anos. Se você quer construir tem que pegar o exemplo de Ferguson no Manchester United e agora Moyes, que assinou um contrato de seis anos. Isso é o que você precisa para a estabilidade e o sucesso”.
 
 
Traduzido a adaptado do Manchester Evening News
Acesses nossas redes sociais:http://facebook.com/ManchesterCityBrasil
http://twitter.com/ManCityBrazil
Contato: joaohugo@manchestercity.com.br

Sobre João Hugo

Em 29 de dezembro de 2007, fundei o Man City Brazil com o Leonardo e o Fernando. Em 23 de fevereiro de 2017, 10 anos depois, nos tornamos a 1º torcida oficial do Manchester City na América Latina: The Citizens Brasil. O resto é estória pra boi dormir...

Veja mais

A história do Maine Road, o lendário estádio do Manchester City

O Maine Road foi a casa do Manchester City Futebol Clube por 80 anos, desde sua …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *