segunda-feira , 23 outubro 2017
Home / Opinião / Curva descendente e pessimismo

Curva descendente e pessimismo

 
A péssima semana que se seguiu é somente mais um reflexo que o nível de atuações do time vem caindo há algum tempo, principalmente porque nossas principais armas de outrora tem demonstrado instabilidade: primeiramente o ataque, que tem negado fogo, com Negredo e Dzeko tendo atuações abaixo do esperado, Aguero se machucando a cada dois segundos, onde desfalca o time demais e mesmo quando está em campo tem problemas para entrar no ritmo.
 
Outro ponto forte eram os jogos em casa, as vitórias têm sido mais difíceis, o time tem dificuldades para abrir o placar e vem tomando alguns sustos, inclusive com resultados ruins aparecendo constantemente. Verificando cada partida, podemos perceber que a queda nos resultados vem se acentuando desde fevereiro, especialmente a partir da péssima derrota em casa no jogo decisivo contra o Chelsea, em que podíamos ter mantido a liderança da Premier. Abaixo a relação de todos os jogos realizados a partir dali:
 
DATA
RESULTADO
COMPETIÇÃO
03/02
Man City 0 x 1 Chelsea
Premier League
08/02
Norwich 0 x 0 Man City
Premier League
15/02
Man City 2 x 0 Chelsea
FA Cup
18/02
Man City 0 x 2 Barcelona
Champions League
22/02
Man City 1 x 0 Stoke
Premier League
02/03
Man City 3 x 1 Sunderland
Capital One Cup
09/03
Man City 1 x 2 Wigan
FA Cup
12/03
Barcelona 2 x 1 Man City
Champions League
Podemos destacar nesta série que inclui as duas partidas contra o Barcelona pelas oitavas da Champions e a final da Capital One um retrospecto de três vitórias, um empate e quatro derrotas. Foram apenas oitos gols marcados, média de um por partida, e oito sofridos. Nada perto do ataque que assustou a Europa quando ultrapassou a marca de 100 gols com antecedência… Mais gritante é quando vemos que das oito partidas, cinco foram em casa, que renderam três derrotas, também nada perto da fortaleza imbatível de antes.
 
Para terem uma idéia da queda, coloco agora as oito partidas anteriores as mostradas, comparem e vejam a diferença:
 
DATA
RESULTADO
COMPETIÇÃO
28/12
Man City 1 x 0 Cryst. Palace
Premier League
01/01
Swansea 2 x 3 Man City
Premier League
08/01
Man City 6 x 0 West Ham
Capital One Cup
12/01
Newcastle 0 x 2 Man City
Premier League
18/01
Man City 4 x 2 Cardiff
Premier League
21/01
West Ham 0 x 3 Man City
Capital One Cup
25/01
Man City 4 x 2 Watford
FA Cup
29/01
Tottenham 1 x 5 Man City
Premier League
São oito vitórias, só isto, com 28 gols marcados, impressionantes 3,5 de média, e sete sofridos. Destaque para as goleadas sobre West Ham e Tottenham, esta última em White Hart Lane. Neste momento o City tinha um desempenho 80% superior em número de gols e 70% melhor em relação às vitórias. É evidente a curva descendente que se seguiu.
 
Ganhamos um título nesta baixa, mas fomos eliminados de duas competições, uma delas inesperadamente, e o que poderiam ser quatro títulos em disputa viraram apenas um, ao qual o time tem que buscar desesperadamente em jogos atrasados tirar a diferença para o Chelsea e salvar a temporada, já que a Capital One hoje parece muito pouco para o real nível da equipe. O pior é que existem clássicos para serem disputados fora de casa contra Manchester United, Liverpool e Arsenal, tabela muito salgada nesta disputa ferrenha que se segue pelo troféu, com adversários nada fáceis.
 
Nestas duas últimas eliminações alguns afirmam que Pellegrini pode ter apostado no jogo errado, poupando no domingo para tentar uma classificação quase impossível na quarta, mas vamos combinar que qualquer um em sã consciência sabe que dava para poupar e se classificar contra um time da Championship, sem falar que seria meio estranho mandar um time incompleto contra o Barça, pois, apesar do péssimo resultado influenciado e dispensável da primeira partida, ainda havia chances de classificação, e estas deveriam ser tentadas.
 
Obviamente, dadas as condições, a que eu lamentei menos foi a diante dos catalães, pois era totalmente esperada e provável após o desastre anterior. O que me deixou de cabeça quente mesmo foi a partida de domingo, marco na queda de rendimento, onde rendeu, infelizmente, mais um título que se foi tão perto, irônica e caprichosamente diante do pequenino Wigan, deixando o caminho livre para o Arsenal encerrar seu jejum.
 
Era soberbo demais pensar em quatro títulos na temporada, é contra o sentido de ser City. Nosso histórico de sofrimento não permite tantas glórias assim de uma vez, tem de ser pouco a pouco, com muito suor e trabalho para conquistar nosso lugar. Eu, por exemplo, não contava com a Champions, porque sei que existem times melhores e mais tarimbados como Real e Bayern. E, garfados ou não, contava com uma eliminação nesta fase, eram dois grandes times em que se podia dar qualquer coisa.
 
Agora, pelo jeito que o time vinha destruindo e encantando, estrelas brilhavam em meus olhos para uma tríplice coroa caseira, para mim totalmente possível. O interessante é que vendo o cruzamento da próxima fase não me abateria se por acaso fossemos eliminados pelo Arsenal. Time grande + jogo único = tudo é possível. A questão é para quem caímos, e isto que engrandece o fracasso dessa eliminação.
 
Temos um título, o menor, sobra outro a disputar. Neste caso, o pior é ver este acúmulo de jogos atrasados, que agora carregam consigo uma pressão extra e vão decidir realmente nosso destino na briga, todos devem ser vencidos pois não existem mais rodadas sobrando para uma recuperação em caso de tropeço. O bom é que se não fosse assim, com essa dose dramaticidade, não seria o City, na verdade, se fosse fácil demais a chance de conseguirmos seria quase zero, pois nunca ganhamos algo de bandeja. A relação de partidas restantes está abaixo:
 
DATA
CONFRONTO
15/03
Hull x Man City
22/03
Man City x Fulham
25/03
Man United x Man City
29/03
Arsenal x Man City
05/04
Man City x Southampton
13/04
Liverpool x Man City
16/04
Man City x Sunderland
21/04
Man City x WBA
27/04
Cryst. Palace x Man City
03/05
Everton x Man City
07/05
Man City x Aston Villa
11/05
Man City x West Ham
Só igualaremos o número de jogos às vésperas da última rodada, quando enfrentaremos o Aston Villa. Além dos três clássicos chaves fora de casa, ainda existe um chato jogo contra o Everton no Goodison Park, daqueles que nunca vemos um resultado bom.
 
Depois de muitas doses de pessimismo altamente necessário, algo intrínseco a alma de um Citizen, nestes momentos se faz necessário lembrar os apuros de 2011/12 quando ficamos oitos pontos atrás em uma fase mais adiantada que a atual, e sem jogos atrasados. Convém lembrar também que nesta mesma temporada, no momento de baixa da equipe, fomos eliminados de algumas copas que seguíamos entre os favoritos aos títulos. Acabou nos sobrando apenas a Premier League, e talvez este tenha sido o diferencial de garra para a equipe buscar o caneco, em vez de se concentrar em vários campeonatos, com todos os problemas inerentes a rodagem de elenco, foi focada uma coisa só, uma só luta por um só objetivo. É o mesmo que parece acontecer agora, nos resta torcer para que os ventos soprem positivamente e que o dia 11/05 seja histórico, quase dois anos após aquela data que nunca esqueceremos, mas com o detalhe que não deixem para o último minuto…
 Júnior Martins
Acesses nossas redes sociais:

http://facebook.com/ManchesterCityBrasil
http://twitter.com/ManCityBrazil
Contato: joaohugo@manchestercity.com.br

Sobre João Hugo

Em 29 de dezembro de 2007, fundei o Man City Brazil com o Leonardo e o Fernando. Em 23 de fevereiro de 2017, 10 anos depois, nos tornamos a 1º torcida oficial do Manchester City na América Latina: The Citizens Brasil. O resto é estória pra boi dormir...

Veja mais

PRÉ-JOGO MANCHESTER CITY X STOKE CITY – 14/10 – PL

Premier League (8ª Rodada) Manchester City x Stoke City PRÉ-JOGO Após um longo período de …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *