segunda-feira , 24 julho 2017
Home / City Women / De roupa nova, City Women vence no fim, mas não alcança liderança da Spring Series

De roupa nova, City Women vence no fim, mas não alcança liderança da Spring Series

No mesmo dia que o novo uniforme foi anunciado, o Manchester City já usou o novo kit. Pela WSL Spring Series, o City venceu o Sunderland*, fora de casa, pelo chorado placar de 1×0, cortesia de Georgia Stanway.

Com Kosse Asllani e Carli Lloyd não relacionadas, os 1054 presentes no Hetton Center viram o seguinte XI inicial: Roebuck, Stokes, Houghton (c), Beattie, McManus, Walsh, Christiansen, Scott, Stanway, Parris, Ross. No banco: Hourihan, Campbell, Lawley, Toone, Duggan

Com o sol brilhando, o City nem parecia que jogava fora de casa, com Stanway dando trabalho e, logo aos 5 minutos criou a primeira chance de gol, mas a goleira Preuss defendeu bem. Aos 15, a camisa 12 tentou novamente, obrigando a goleira fazer uma defesa mais difícil. Em seguida, a incansável Jill Scott mandou uma bomba de fora da área, mas sem efeito.

Conforme o tempo foi passando, o Sunderland cresceu no jogo e foi possível ver como o City está bem servido de goleiras. Pela direita, Dominique Bruinenberg deixou Stephanie Roche na cara do gol, obrigando nossa jovem goleira Ellie Roebuck operar um milagre, defendendo com o pé direito. Nem parece que tem apenas 17 anos, não sente a pressão de usar uma das camisas mais promissoras do futebol feminino europeu. Detalhe: veio das categorias de base do clube…

Já aos 30 minutos, Izzy Christiansen criou boa jogada, cortando a defesa e passando a bola para Jane Ross, mas na hora H foi bloqueada pela zaga. Pelo lado do Sunderland, mais trabalho para Roebuck. Abbey Joice cabeceou em cima da linha, obrigando a goleira a realizar mais um milagre. No último lance antes do intervalo, Steph Houghton teve a melhor chance da partida, em cobrança de falta, mas dessa vez foi Preuss que operou o milagre da defesa.

Na volta do intervalo, Stanway não parecia estar cansada, pois ela continuou criando boas jogadas, dando trabalho para a zaga das Black Cats. Duas substituições por volta dos 20 minutos deixaram o ataque do City mais afiado, com Toni Duggan e Mel Lawley nos lugares de Ross e Christiansen, respectivamente. Com as entradas, o jogo deu uma leve melhorada, mas ainda assim as chances não eram convertidas em gol.

Faltando 15 minutos para o fim da partida, Lawley deixou Nikita Parris na cara do gol, mas a camisa 17 não conseguiu dominar e finalizar. No desespero, o Sunderland fechou a casinha, fatalmente contentes pelo ponto que julgavam ter conquistado. Quando os três minutos de acréscimo foram anunciados, Stanway teve seu esforço recompensado, com um belo gol. Deixaram-na sozinha na entrada da área, a bola sobrou para ela, que mandou um chute no canto superior, levando a torcida a loucura.

*No Twitter da Citizens Brasil, foi informado de que essa rodada seria a última da competição, mas houve um engano. A próxima – e derradeira – rodada será dia 3 de junho, contra o Liverpool, fora de casa.

O título da WSL Spring Series ainda não está definido, mas ficou mais difícil. O Chelsea lidera a competição com 16 pontos – a mesma pontuação do City, porém, as Blues tem o absurdo saldo de gols de 26, enquanto o City tem apenas 9. O Arsenal vem logo atrás, com 15. O City enfrenta o Liverpool fora, o Chelsea vai até Birmingham enfrentar as donas da casa, assim como o Arsenal, que vai até Bristol.

Sobre Kamila Villarreal

Responsável pelo City Women. Queria ser jogadora de futebol, mas como não deu certo, escolheu ser jornalista.

Veja mais

Duggan faz três e City Women vence a segunda seguida na Spring Series

Na tarde desta terça, em Bristol, o Manchester City conseguiu mais uma vitória pela WSL …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *