segunda-feira , 18 dezembro 2017
Home / Lendas do City / Lendas do City: Paul Dickov

Lendas do City: Paul Dickov


Leitores, estamos de volta com a série “Lendas do City”, pra quem sentiu falta do episódio da semana passada o motivo foi técnico (computador quebrado), mas, esta semana voltamos em grande estilo, falando de uma estrela recente: Paul Dickov.

O escocês Dickov começou sua carreira no Arsenal em 1990, mas nunca foi titular, nem teve prestigio na equipe londrina, em 1996 mudou-se para o Manchester City, que estava então na segunda divisão. Ao longo de seis temporadas no clube, ele experimentou duas promoções e dois rebaixamentos, jogando em três divisões diferentes.

Dickov se juntou ao City em 22 de Agosto de 1996, em uma transferência com valor entre £ 750,000 e £ 1.000.000. Ele fez sua estréia como substituto contra o Stoke City em 24 de Agosto, uma derrota por 2-1. Sua primeira partida como titular foi na vitória por 2-1 sobre o Charlton Athletic. Dickov se juntou ao clube em um período de turbulência, em sua primeira temporada, jogou com nada menos que cinco diferentes managers. Terminou a temporada com cinco gols em 25 partidas pelo Campeonato. No início da temporada 1997-98, Paul não começou no primeiro time, mas voltou com as lesões de Uwe Rösler e Lee Bradbury. Ele terminou a temporada como artilheiro do City com nove gols, mas o clube foi rebaixado para a terceira divisão do futebol Inglês, pela primeira vez na sua história depois de terminar em 22 º lugar.

Dickov desempenhou uma parceria com Shaun Goater impressionante na temporada 1998-99, marcando 16 gols em todas as competições, incluindo um “hat-trick” contra o Lincoln City. Ele marcou em um importante empate contra o Wigan Athletic no play off semifinal. Na final da promoção dos playoffs contra o Gillingham o escocês fez seu principal gol, aos 95 minutos e levou o jogo para a prorrogação, onde o City finalmente ganhou a promoção para a Championship.

Com este gol heróico, Dickov manteve seu lugar no time principal no início da temporada 1999-2000. Mas uma lesão nos ligamentos do joelho no dia 27 de outubro, em uma partida contra o Ipswich Town atrapalhou sua temporada. Durante sua ausência o City assinou com Robert Taylor, e quando ele voltou da lesão, foi normalmente reserva. No último jogo da temporada, uma vitória por 4-1 sobre o Blackburn, Dickov marcou o terceiro gol e o City obteve a promoção para a Premier League.

No retorno a primeira divisão, temporada 2000-01, Dickov pressentiu que suas chances de jogar seriam minimas com as contratações do ex-melhor do mundo George Weah e do costa-riquenho Paulo Wanchope. No entanto, ele ganhou um lugar na equipe, mas o City foi rebaixado de volta para a segunda divisão. E ele viu novamente suas oportunidades rarearem, sendo preterido pelo manager Joe Royle, que preferia Paulo Wanchope, Shaun Goater e Darren Huckerby. Sendo pouco aproveitado, em 22 de fevereiro de 2002 mudou-se para o Leicester City por £ 150,000.

Dickov voltou novamente ao Manchester City em 26 de maio de 2006, assinando um contrato de dois anos. Ele entrou como substituto no primeiro jogo da temporada 2006-07 contra o Chelsea, uma derrota por 3-0. Ele foi titular em jogos posteriores, incluindo uma vitória por 1-0 sobre o seu antigo clube, o Arsenal, mas Paul sofreu várias lesões ao longo da temporada, incluindo um problema nas costas, uma lesão no joelho e uma lesão no dedo do pé, este último afastando-o por quatro meses. Em nove partidas na temporada, não conseguiu marcar nenhum gol. Após isso não vestiu mais a camisa sky-blue: em agosto de 2007 foi emprestado ao Cardiff, depois ao Blackpool, e em meados de 2008 seu contrato com o City acabou, não sendo renovado.

Paul Dickov ainda joga profissionalmente, acumulando as funções de jogador e manager no pequeno Oldham Athletic. Pelo City ele fez 174 partidas, marcando 35 gols.

foto: DailyMail

Acesses nossas redes sociais:

http://facebook.com/ManchesterCityBrasil
http://twitter.com/ManCityBrazil
Contato: joaohugo@manchestercity.com.br

Sobre João Hugo

Em 29 de dezembro de 2007, fundei o Man City Brazil com o Leonardo e o Fernando. Em 23 de fevereiro de 2017, 10 anos depois, nos tornamos a 1º torcida oficial do Manchester City na América Latina: The Citizens Brasil. O resto é estória pra boi dormir...

Veja mais

Pete, the badge: a lenda viva do Manchester City

O futebol sem o torcedor não teria a menor graça. Imagine a final da FA …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *