sexta-feira , 15 dezembro 2017
Home / City Women / Pela UWCL, City Women estreia com vitória e lesões graves

Pela UWCL, City Women estreia com vitória e lesões graves

Na tarde desta quarta, noite em St. Polten, na Áustria, o Manchester City começou sua caminhada na Women’s Champions League. Pelo placar de 3×0, as comandadas de Nick Cushing venceram o St. Polten em plena NV Arena. Com um surpreendente (e raríssimo) 3-5-2, o time parecia estar jogando em casa, envolvendo o adversário com um toque de bola rápido e objetivo. Gols marcados por Stokes, Houghton e Parris (foto).

Com Megan Campbell no time titular pela primeira vez desde que foi contratada, a única ausência ainda é Karen Bardsley, que segue no DM. Os 2234 torcedores presentes na NV Arena viram o seguinte onze inicial:

Mesmo estando numa escalação 3-5-2, o City deu o tom da partida. Trabalhou a bola no campo de ataque com muita tranquilidade, enquanto o St. Polten ora via a bola, ora cometia alguma falta, a fim de parar a jogada. Os torcedores fizeram bastante barulho para as locais, mas nada foi suficiente para parar o City. E aos 23 minutos, Izzy Christiansen encontra Demi Stokes na entrada da área e a lateral-direita mandou uma bomba. Primeiro gol do City na UWCL 2017/18.

Aos 31, Campbell é derrubada na entrada da área. Steph Houghton cobra uma falta perfeita, marcando o segundo gol. Vale ressaltar que a goleira aceitou o frango. Nesse primeiro tempo só deu City, com as austríacas jogando na defesa, mesmo em casa. Quatro minutos depois, Stokes, na linha de fundo, cruza para o cabeceio perfeito de Nikita Parris, marcando seu terceiro gol na temporada.

A primeira lesão grave da partida foi com Jill Scott. A incansável camisa 8, sozinha e sem a bola, acabou lesionando o tornozelo esquerdo e precisou ser substituída ainda no primeiro tempo, entrando em seu lugar Pauline Bremer, que entende de Champions, já que foi campeã na temporada passada com o Lyon.

Na volta do intervalo, a primeira mudança do Polten mudou a cara do time. A partida acabou ficando equilibrada, com o City não tendo mais do que 55% de posse de bola. O placar não seria alterado, mas as austríacas passaram a encontrar brechas na defesa azul, obrigando Ellie Roebuck a fazer grandes defesas, como naquele em que ela tirou a bola pelo travessão, em chute de Fanni Vago – e ela aparenta ter pouco mais de 1,60m de altura.

Além de Roebuck, quem também apareceu bem no jogo foi Campbell, com suas cobranças de lateral muito forte – se o lance for próximo da área, ela manda direto na fogueira, facilitando um possível cabeceio. A segunda lesão (gravíssima, diga-se de passagem) foi no lado do St. Polten. Em dividida com Georgia Stanway, Claudia Wasser, que tinha acabado de entrar no jogo, machuca gravemente a perna esquerda, tendo que sair de maca, direto pro hospital.

A capitã Houghton ainda faria mais um gol, cabeceando em cobrança de escanteio de Christiansen, mas a bandeira acusou impedimento. Um segundo tempo bem diferente do primeiro, mas que garantiu um placar positivo para o City. O jogo da volta será nesta quinta, 12, no Academy Stadium. O City pode perder por até 2 gols de diferença. 3×0 para as austríacas vai para as penalidades e 4 gols ou mais contra garantem o St. Polten na próxima fase.

Sobre Kamila Villarreal

Responsável pelo City Women. Queria ser jogadora de futebol, mas como não deu certo, escolheu ser jornalista.

Veja mais

De virada, City Women vence e continua invicto na WSL

Neste domingo, pela quarta rodada da WSL, o Manchester City venceu, de virada, em casa, …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *