segunda-feira , 27 março 2017
Home / Uncategorized / Roberto Mancini: Temos feito tudo certo nessa temporada, mas podemos fazer mais.

Roberto Mancini: Temos feito tudo certo nessa temporada, mas podemos fazer mais.

“Avere il bracceto”

Traduzido do italiano significa o braço torna-se curto. Roberto Mancini puxa o punho fechado bruscamente de volta para seu corpo para explicar a sua fala. Se fossemos traduzir para o português bruto seria dizer medo de ganhar.

Mancini tenta dar um exemplo de um jogador que não está acostumado a participar de uma final de Grand Slam de tênis, e se vê a frente de Roger Federer.

“Um jogador tem um dos grandes jogos da sua vida contra Roger Federer, ele consegue abrir dois sets a zero contra o suíço, e está apenas um set de ganhar o torneio. Ele é um ótimo jogador, um dos melhores, mas não o melhor. Avere il bracceto. Seus braços se tornam curtos. Essa é a minha preocupação com o Manchester City as vezes.”

Se os jogadores de Mancini realmente são pertubados por pensamentos de sucesso, no entanto, eles têm uma maneira estranha de mostrar isso. Uma rara derrota contra o Sunderland foi seguido por uma retumbante vitória contra o Liverpool, assim como o Arsenal foi derrotado depois que o City perdeu para o Chelsea.

Nessa época na temporada passada, o Manchester City tinha 41 pontos e com 17 gols de saldo positivo. Nesse ano com um jogo a menos City tem 48 pontos e 40 gols positivos.

O tedioso e demorado problema com o Carlos Tevez deve acabar em breve, jogadores problemáticos foram vendidos ou emprestados e a equipe está sobre o total comando de Mancini.

Domingo o Manchester City recebe a visita do United pela FA Cup, e após a surpreedente vitória de 6×1 em Old Trafford em outubro, as emoções estão elevadas para que o time elimine seu grande rival da competição tirando a chances deles fazerem o double nessa temporada.

Mesmo assim Mancini não está contente. Ele é um tipo de pessoa que nunca está 100% satisfeito. Os jogadores estavam em treinamento um dia depois da vitória contra o Liverpool porque ele ainda não os tinham perdoado pela derrota contra o Sunderland.

“Temos feito tudo certo nessa temporada, mas podemos fazer mais. Mesmo os melhores times há momentos durante o ano onde você não consegue ganhar as partidas, e você não sabe o porquê. Talvez você não está tendo sorte, cria as oportunidades de gol mas não consegue converte-las.”
“Então existe partidas como contra o Chelsea e Sunderland, onde mesmo você sendo a equipe que está no topo e não conhece ganhar, mas você também não pode perder.”

Mancini deu um ênfase maior na últimas palavras que ele disse, mas do que em qualquer outra parte da nossa conversa.

“Nós precisamos entender isso. Uma equipe inteligente precisa entender. Ok, ele pensam, a vitória não vai acontecer, mas, tão importante, não podemos conceder nada ao adversário. É por isso que fiquei tão desapontado em Sunderland. Nós merecíamos ganhar de 3×0, 4×0 talvez, mas mesmo assim precisamos ser fortes, bem fortes. A mesma coisa em Napoli. O empate era muito importante. Se tivéssemos empatado hoje estaríamos na outra fase da Champions League.”

“Há um mês atrás todos os jornalistas estavam dizendo que nós poderíamos jogar toda a temporada sem sermos derrotados. Mas eu sabia que isso não ia acontecer. Nós não somos o Arsenal, nós não somos tão fortes como aquele time era.”

“Não importa quantos atacantes nós temos, eu sabia que ia chegar momentos nesse temporada onde não conseguiríamos marcar e nós chegamos em Sunderland e isso aconteceu e nós perdemos. Eu sabia que isso ia acontecer. E por isso que eu sabia que não ganharíamos todas as partidas.”

“Nós temos fantásticos jogadores, mas não somos acostumados a ficar no topo. Vai existir momentos difíceis, grandes jogos, mas não é apenas ganhar os grande jogos. Você tem que ter certeza que vai ganhar mesmo já tenho ganho 5,6 ou 7 partidas seguidas. Por isso que temos que estar sempre no nosso melhor.”

“Nós podemos perder contra o Sunderland e depois ganhar do Liverpool e todos dizerem eles se recuperaram bem, mas se tívessemos perdido contra o Sunderland no final de abril, lá não há mas tempo para se recuperar. Nossas chances teriam ido embora. Quer dizer você não estava no seu meu melhor, não foi forte o bastante e perdeu o campeonato. E nós temos que saber, e entender isso.”

“É diferente para o United e Chelsea, eles já estiveram nessa situação antes. Nós sabemos que eles vão chegar fortes no último mês, e talvez nós não conseguimos fazer o mesmo, então perder para o Sunderland pode ter criado um grande problema para nós.”

“E se nós tivéssemos perdido para o Liverpool? Isso poderia ter acontecido. A primeira grande chance do jogo foi do Stewart Downing. Se ele tivesse marcado talvez o Liverpool teria vencido por 3×0. Nós tivemos apenas 48 horas de descanso, talvez estaríamos muito cansados para buscar uma reação.”

Mas o City tem o Yaya, um campeão na liga espanhola e da Champions League com o Barcelona, ele não poderia ajudar com toda a sua experiência no final da temporada? Mancini responde rapidamente:

“Barcelona? Aqui é o Manchester City. Barcelona é igual o United. Seus jogadores tem a expectativa de ganhar a liga toda ano. È diferente para nós. Se todo ano você ganha a liga, copas, Champions League, o seu clube coloca medo nas outras equipe.”

“Eu vejo isso quando o United joga. Todo time que enfrenta o United joga com medo. Leva 20 anos para você ter mentalidade vencedora dessa, levou anos para o United chegar onde está agora. Quando fui para a Inter de Milão eu tive a mesma situação. Fazia 19 anos que ele não ganhavam a liga. Era difícil para eles ganharem três partidas seguidas.”

Roberto Mancini é um treinador muito supersticioso também, por exemplo o assistente David Platt vai pagar o almoço antes do jogo contra o United porque ele fez o mesmo contra o Liverpool e Mancini não quer quebrar o ritual. Platt brinca: “Nós vamos ganhar 10 partidas seguidas agora, assista. Isso vai me custar uma fortuna.”

Mas esse não é o único ritual do italiano. Os potes de sal da mesa não devem ser passados de mão em mão, mas sim mudados da mesa como peças de xadrex até chegar a pessoa que deseja. Nesse momento Platt pega um pote de sal e oferece para Mancini e comenta que Roberto vai preferir deixar a comida esfriar do que pegar o sal da mão dele.

“Mancini é mais superstisioso com os vinhos.” Afirma Platt. “Se você derramar vinho, ele tem que enfiar o dedo dentro do copo e passa-los atrás da orelha como perfume. Aparentemente ele diz que afasta a má sorte.”

Depois da partida contra o Liverpool eu estava em seu escritório e derrubei um copo de vinho em cima da mesa, não tinha nada dentro dele, mas uma gota caiu na mesa, e do outro lado da sala Mancini coloca o dedo no vinho e passa nas suas orelhas e não dá uma palavra de explicação a ninguém.

Mancini tem um grande orçarmento para comprar jogadores, e com isso resolveu comprar seu protegido e problemático Mário Balotelli. Na véspera do Derby contra o United os bombeiros chegaram na casa do jovem italiano depois que o banheiro pegou fogo por causa de fogos de artifícios. No dia seguinte, Balotelli atuou no 6×1 e quando marcou seu gol e revelou a camisa: “Why always me?” Mancini tinha a resposta.

“Eu disse a ele. É sempre você porque sempre que tem uma confusão voçê está dentro dela.”Mário me disse: “Mestre não é minha culpa.” Eu disse: “Não, eu suponho que é minha culpa.” Ele respondeu: “Não, não é culpa sua, mas eu estava dormindo quando tudo aconteceu.”

“Mário é um homem estranho. Um bom homem, um homem amável, mas eu não entendo ele. Eu sinto que preciso de um tradutor especial, apenas para ele.”

“Ele é um jogador incrível, mas ele não entende a força que tem, aonde ele pode chegar como jogador. Talvez ele precise de mais tempo. Wayne Rooney, Cristiano Ronaldo tem o mesmo talento que o Mário, mas eles são mais espertos, eles sabem que a carreira é curta e não adianta esperar até ao 40 para perceber o quão bom voçê era.”

“Mário começou a jogar bola aos 16 anos. Ele terá apenas mais 15 anos como Top player, e ele tem 21 agora. Ele não entende a sorte que tem no momento, mas ele precisa chegar a esse ponto em breve.”

Balotelli é tratado diferente por Mancini, seus hábitos de fumar, suas escapadas na noite antes das partidas, você poderia imaginar Mancini tomando uma atitude linha dura como Alex Ferguson faz com Wayne Rooney suspendendo o jogador e aplicando multas?

“Eu não multo os jogadores. Nós conversamos. Talvez depois de três, quatro erros eu aplico a multa, mas eu tenho as minhas maneira de lidar com a situação. Mário ficou um mês no banco de reservas no começo da temporada. Aquilo foi uma ação disciplinar. Ele não estava trabalhando duro nos treinos.”

“Ele ainda não entende o caminho dele. Mas sempre os melhores jogadores são os homens mais diferentes. Lembro-me de Paul Gascoigne na Lazio. Você sempre vai encontrar esses caras no futebol. Eu só espero que Mário possa entender o quanto ele pode melhorar até ele se tornar um homem. Ele pode ser muito importante para mim.”

Um ano atrás a equipe contava com Tevez, agora distante, separados por um continente e visões de um mundo tão polarizado que poderiam muito bem ser de planetas diferentes, mas Mancini já está preparado para a perda do jogador.

 A imprenssão que se dá é que Roberto tem o controle da casa. Os donos apoiam ele, o jogador partiu e eles continuam do seu lado. Foi uma importante vitória para Mancini, para o Manchester City, para o futebol. E por isso que as próximas palavras de Mancini me deixarão tão surpreso.

“Eu nunca pensei que ganhei a batalha. Meu relacionamento com Carlos não era apenas bom, mas fantástico. Eu fiz tudo que podia por ele em dois anos. E agora estamos nessa posição. Eu tentei falar com ele, eu disse: Apenas peça desculpas e está tudo bem. Mas eu não sabia o que estava na cabeça dele até então.

“Eu não sei as razões dele. A única coisa que sei que o clube vem em primeiro lugar: á minha frente, á frente dos jogadores. Portando ninguém ganhou a batalha, apenas um momento triste, de verdade.”

“Eu entendo o que as pessoas estão dizendo. Era um momento importante para o clube e para o jogo. Era preciso dar um exemplo para os jogadores. E eu sabia desde o princípio que deveríamos mudar a percepção do Manchester City, porque muitos pensavam que tivemos sorte de ter esses jogadores.”

“Precisávamos mostrar para os jogadores que desejavámos apenas na equipe aqueles que queriam jogar pelo City, que somos como o Chelsea e United. E estamos chegando lá. É uma situação diferente de dois anos atrás.”

“Não podemos ter jogadores que pensam que estão nos fazendo um favor por estar aqui, talvez Tevez pensava assim, eu não sei. Mas não é como uma vitória, porque é triste terminar dessa maneira.”

Nesse domingo o derby. Há cinco anos atrás ninguém imaginava que o United iria visitar o Manchester City como azarão na casa de apostas. Mancini está ciente da expectativa que o 6×1 trás.

Eles tiveram um jogador expulso logo no começo do segundo tempo. Nós ganharíamos a partida de qualquer maneira mas não por seis.”

Eu disse a ele que quando o United venceu o Arsenal por 8×2, Ferguson disse que desejou que o placar parasse porque não queria ver ser adversário ser humilhado daquele maneira, e perguntei para Mancini se sentiu o mesmo naquele dia especial.

“Não. Aquilo era o United. Continuem marcando gols, continuem marcando gol foi o que pedi. Houve uma partida, em que o United estavam perdendo por 3×0 no placar, eles venceram por 5×3. Nós estávamos ganhando por 3×0 e em seguida Fletcher marcou, e você nunca sabe como a partida vai terminar apartir dai. Então eu nunca pensei que o 6×1 foi exagerado.”

“Na Itália quando você tem três, quatro gols de vantagem, você diminui o ritmo. Aqui é diferente. Primeiro podemos ganhar o título pelo saldo de gols, segundo se você está jogando contra o United e tem chance marcar mais gols então marque.

“Se nós diminuíssimos o ritmo ai sim seria desrespeito. É o oposto do que você está dizendo. Nós estamos lá para marcar gols, então estamos mostrando respeito pelo nosso adversário, estamos demostrando que estamos levando a partida a sério. Eu vi Alex Ferguson depois do jogo. Eu fui no seu escritório. Ele foi amável. Ele sempre foi assim comigo.”

“Nós temos uma cultura diferente na Itália. Quando perdemos uma partida, sua mente não trabalha direito por muitas horas. Aqui é diferente. Quando soa o apito final o jogo acaba, isso é muito bom. Isso me mudou. Quando perdemos para o Sunderland foi difícil porque estava me sentido do jeito italiano, mas depois eu fui no escritório do Martin O´neil e me senti do jeito inglês novamente.”

“Alex Ferguson tem 70 anos e continua trabalhando, e você sabe porque? Porque é facil ser técnico aqui. Há mais respeito pelo trabalho, mas respeito pelo técnico. Na Itália voçê tem um problema a cada três dias, torcedores cobrando resultados, perca dois jogos e você está fora. Aqui na Inglaterra vocês são mais pacientes, então podemos fazer um trabalho melhor. Eu tive melhorar muito a minha mentalidade aqui.”

“Na Itália todos estão falando sobre o arbitro três dias antes da partida. Eu não gosto dele, ele não é bom. Aqui eu pergunto para o David Platt ou Brian Kidd: Quem é o arbitro? No dia do jogo eles ainda não sabem. Eles não se importam, nós só descobrimos quando entramos em campo.”

Mancini pensa muito civilizado. Despojado de paranóia e conspiração. Sempre há mais tempo para trabalhar, mais tempo para treinar, mais tempo para planejar. E, naturalmente mais tempo para se preocupar com Abril e com a falta de braços do City.
Fonte: Entrevista concedida a Martin Samuel do Jornal Daily Mail
Acesses nossas redes sociais:

http://facebook.com/ManchesterCityBrasil
http://twitter.com/ManCityBrazil
Contato: joaohugo@manchestercity.com.br

Sobre João Hugo

Em 29 de dezembro de 2007, fundei o Man City Brazil com o Leonardo e o Fernando. Em 23 de fevereiro de 2017, 10 anos depois, nos tornamos a 1º torcida oficial do Manchester City na América Latina: The Citizens Brasil. O resto é estória pra boi dormir...

Veja mais

Chelsea x Manchester City-Preview

Barclays Premier League-13 Rodada Data: Domingo-25/11/2012 Local: Stamford Brigde-Londres Horário:14:00h (Brasília) Árbitro:Chris Foy Transmissão: Fox …

Sem comentários

  1. Mancini é um técnico diferente, ama o City, quer fazer a história do clube, quer fazer parte dessa história.

    Não se acha o special one, sempre elogia a equipe.

    Quando perdermos é por nossa culpa, nunca em ninguem ou arbitragem, diferentes de outros técnicos.

    Tivemos problemas contra Sunderland e Chelsea, ele apontou os erros mas disse que a culpa da derrota foi nossa.

    Ele tem a filosofia que se fizermos 3,4,5 gols nenhum arbitro vai conseguir tirar a nossa vitória.

    Um cara humilde e trabalhador que deseja o melhor para o City.

    Vida longa ao Mancini.

  2. A cada dia que passa, nós podemos perceber que Mancini é o técnico ideal pra comandar nosso City neste momento de crescimento.

    Ele sabe lidar com os jogadores de uma forma conciliadora, sem esquecer de cobrar o desempenho de alto nível.

    Posso me enganar muito, mas acho muito difícil nós perdermos essa Premier League. se dosarmos bem o elenco, podemos ganhar a FA Cup , Carling Cup ou a europa League.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *