quarta-feira , 26 abril 2017
Home / Notícias / Tribunal em Bruxelas definiu a data em que vai ouvir a ação legal contra o FFP

Tribunal em Bruxelas definiu a data em que vai ouvir a ação legal contra o FFP

platini

A Corte Belga definiu a data em que vai ouvir os opositores do Financial Fair Play que movem uma ação contra a UEFA.

A ação que é feita pelo agente de futebol Daniel Striani e torcedores do Manchester City e Paris Saint-Germain, está previsto para ser ouvida em 26 e 27 de fevereiro, no Tribunal de Primeira Instância, em Bruxelas.

Manchester City e Paris Saint-Germain são dois dos clubes que mais significativamente foram afetados pelo FFP. Ambos foram multados em £49 milhões de libras e mais uma série de outras sanções que foram impostas nessa temporada.

Striani e os torcedores do City e PSG  estão sendo representados por Jean-Louis Dupont, o advogado que garantiu o marco da Lei Bosman, decisão que mudou o panorama do esporte há 20 anos através da concessão de liberdade de movimento para os jogadores fora de contrato. Dupont tem argumentado que as regras do FFP viola o direito da concorrência e deve, portanto, ser declarada ilegal.

Uma das alegações dos torcedores é que eles foram os mais prejudicados com o FFP, pois os clubes aumentaram preços de ingressos, produtos de merchandising e outros para se adequarem a regra da UEFA.

A UEFA insiste que o FFP tem o suporte da Comissão Européia, que em outubro decidiu não continuar a investigar o caso de Striani.

O Advogado Daniel Geey, da Fieldfisher, disse que pode durar mais do que um ano antes que o caso seja resolvido, e citou o processo da Karen Murphy, dona de um pub em Portsmouth, que levou sua ação contra a Premier League para a Corte em Bruxelas.

Karen Murphy passou seis anos lutando para mostrar futebol ao vivo no seu Pub sem assinatura da Sky, que é dona dos direitos do Campeonato Inglês no Reino Unido.

Em vez de usar uma antena da Sky, que custa £700 por mês para que ela tivesse pudesse transmistir os jogos da Premier League no seu estabelecimento, ela usou uma provedor da TV grega Nova, que tem os direitos da competição na Grécia, e que lhe custou £800 por ano.

Ela levou sua luta pelo direito de usar o provedor mais barato para o Tribunal de Justiça Europeu (TJE), que decidiu que um sistema exclusivo de transmissão era “contrário as leis da Comunidade Européia”.

Dupont acredita que pode derrubar o Financial Fair Play justamente por ferir as leis européias.

 

 

Sobre João Hugo

Em 29 de dezembro de 2007, fundei o Man City Brazil com o Leonardo e o Fernando. Em 23 de fevereiro de 2017, 10 anos depois, nos tornamos a 1º torcida oficial do Manchester City na América Latina: The Citizens Brasil. O resto é estória pra boi dormir...

Veja mais

City vence Southampton na despedida da temporada

O Manchester City encerrou sua participação na Premier League 2014/15 neste domingo, diante do Southampton, …

Um comentário

  1. Que Deus ajude vocês… sou torcedor do Chelsea e odeio o FFP, saudade de quando meu time não precisava vender um bom jogador para comprar outro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *